Foliões e ativistas pela legalização da maconha organizam bloco na Lapa

Durante este domingo (28/02) a Lapa recebeu um bloco de carnaval no mínimo peculiar. O Bloco Planta na Mente reúne foliões e ativistas pela legalização da maconha entoando marchinhas animadas e críticas à atual política de drogas vigente em nossa sociedade.

 Hoje é sabido que a política de guerra às drogas tem tido altos custos no orçamento público, não é eficiente na redução do consumo e tem sido o discurso que referenda um grande número de mortes nos morros e periferias brasileiras. O discurso de guerra às drogas também tem servido de “desculpa” para a violação de diversos direitos humanos por parte da polícia junto à população pobre dessas regiões.

A concentração do bloco começou às 16:20h, horário internacional entre os fumantes da erva para se fumar um cigarro de maconha, na escadaria da Lapa.

Rapidamente começou a juntar-se pessoas das mais variadas na escada: meninos, meninas, estudantes, foliões fantasiados, senhores de mais idade e até mesmo famílias com crianças pequenas, todos simpáticos à causa do bloco. O clima era de muita descontração e tudo muito calmo.

Alguns membros da “Banda Erva”, que anima o bloco, sentavam em roda para dobrar o material com as letras engajadas de adaptações que o bloco fez com marchinhas famosas. Bandeira Branca foi uma delas: “Bandeira branca amor /não posso mais / me esconder / só por fumar erva da paz!”

As letras foram das mais variadas e todas com consciência política e teor crítico de dar inveja a maioria dos blocos da folia carioca. Através delas os foliões deixavam claro que não estavam ali só para se divertir, mas para colocar que uma importante discussão, a Legalização da Maconha, tem que ser feita e não tem tido a devida atenção por parte da sociedade e de nossas autoridades. O máximo que temos visto foram declarações demagógicas que quase em nada condizem com a realidade.

O bloco partiu para a rua por volta das 18:30 e chamou a atenção de muitas pessoas pelo trecho que atravessou. Muitos dos clientes de barzinhos e restaurantes ali por perto saiam à porta para ver o bloco passar e rapidamente simpatizavam com a causa daquela turma tão alegre e de paz.

O Planta na Mente terminou sua folia nos arcos da Lapa já com a noite já chegada e durante todo o trajeto do bloco não houveram problemas ou confusões. A situação ficou parcialmente tensa com a aproximação da polícia, mas nada de mais aconteceu. Tudo ficou sob controle e a mensagem dos foliões pôde chegar a todos que passavam pelas imediações.

A cannabis voltou, oficialmente, para a cultura carioca e o Planta na Mente é, sem dúvida, um marco. Uma parcela oprimida de nossa sociedade está organizada e coloca em nossa principal manifestação popular um bloco para questionar a proibição da maconha. Com um afastamento histórico, essa data será, sem dúvida, um marco no movimento pela legalização da maconha no Brasil: o povo na rua perguntando o porque de sua “erva da paz” ser proibida.

No que depender dessa galera animada, o imobilismo já era e com o “bloco na rua” vamos debater com seriedade mais essa importante pauta.

 Andrew Costa é estudante de Comunicação Social.

Comentários:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s