Manifestação antimanicomial reúne militantes neste sábado em Cachoeiro/ES

Militantes da luta antimanicomial de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado, vão às ruas na manhã deste sábado para reivindicar por melhores condições nos serviços públicos de saúde mental. A atividade começa às 9h e será realizada em frente à Clínica de Repouso Santa Isabel, que recentemente foi alvo de várias denúncias sobre as precárias condições estruturais de suas instalações e até mortes de pacientes.

Segundo o Conselho Regional de Psicologia da 16ª Região/ES (CRP-16), além dos psicólogos, estudantes da área e usuários do sistema participarão da manifestação.
A Clínica Santa Isabel, que recebe verba federal do Sistema Único de Saúde (SUS), acumula, desde 2009, diversas denúncias, boa parte delas relacionadas à falta de estrutura do local, que desrespeita as resoluções de órgãos que regulamentam o funcionamento desse tipo de instituição.
Pelo SUS, a clínica trata mais de 460 pacientes, tanto dependentes químicos quanto portadores de doenças mentais graves. Mesmo assim, possui apenas uma enfermeira por plantão, que fica responsável por todos os pacientes internados na clínica.
Uma vistoria realizada ainda no ano de 2009, em que estavam presentes representantes do CRP-16 e dos conselhos de Medicina, Enfermagem, Fisioterapia e Nutrição, além de representantes do Ministério Público do Espírito Santo (MPES), constatou várias irregularidades no local, gerando uma notificação ao Estado e ao município. A notificação exigia a regularização imediata do estabelecimento.
Segundo o documento, entregue ao MPES, o setor destinado a pacientes do SUS tem estado precário de conservação, a higiene e limpeza da clínica são inadequadas, há falta de higienização pessoal e bucal dos pacientes, além do número insuficiente de profissionais. Além disso, o relatório do CRP-16 constatou que o local não tem salas de atendimento individuais ou familiares, destacando que a clínica passa uma “ideia de depósito e de ausência de direitos da pessoa humana, além da negação dos princípios da Reforma Psiquiátrica que povoa as políticas de saúde mental do País”.
Registro de mortes no local
Além das muitas denúncias sobre a precariedade dos serviços da Clínica Santa Isabel, ativistas da luta antimanicomial também acusam o local de maus tratos a pacientes hospitalizados. O principal caso é o de Ana Carolina Heiderich, que morreu quando estava internada na clínica. Sua mãe, Nercinda Heiderich, após ver que as circunstâncias da morte estavam sendo negligenciadas pela direção do local, fez a denúncia no MPES. Além da morte de sua filha, Nercinda ainda sofreu com um processo e a censura do proprietário da clínica, Sebastião Ventury Baptista.
Ana Carolina, que tinha um leve atraso mental decorrente do parto mal-sucedido, morreu no quinto dia de internação. Segundo sua mãe, foi informado aos médicos do local que ela não poderia receber o medicamento Haldol em hipótese alguma, já que era alérgica. Nercinda afirma, ainda, ter comunicado quais medicamentos sua filha tomava regularmente.
Fonte: Século Diário (Kauê Scarim)