“A LIGA” denuncia CSA e a tragédia no Morro do Bumba

O programa A LIGA mostra como é viver ao lado do perigo. São tragédias, doenças, enchentes, contaminação ou répteis. A frase “convivendo com o  perigo” é um bom nome para o programa. Mas para algumas pessoas, essas palavras representam a dura realidade. Estudos mostram que cerca de 680 mil brasileiros moram em áreas de risco. E a sensação de que o chão sob seus pés vai se abrir a qualquer momento, é mais cotidiana do que parece. A mesma natureza que nos presenteia com riqueza, alimento e beleza pode acabar com tudo, se o estado e a população não fizerem sua parte. Seja numa enchente, desabamento ou até num ataque de animais selvagens. E num país onde o crescimento econômico e o desenvolvimento social não andam de mãos dadas, a falta de estrutura pode fazer com que a linha que separa a vida e a morte esteja a centímetros da porta de casa.

Ainda nessa edição A LIGA denuncia o fenômeno conhecido como “Chuva de Prata”

Chuva de prata na Zona Oeste do Rio de Janeiro

Via  Marcelo Freixo

“A expressão é poética, mas a assim batizada emissão de partículas de ferro-guza pelas torres da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), não. Muito pelo contrário. A população do entorno da Baía de Sepetiba não aguenta mais enfrentar o recorrente contato com esse tipo de poluição, que causa males aos olhos, à pele e à respiração, sem falar nos danos aos seus bens e residências. No último episódio registrado, o pó prateado foi expelido em grande quantidade na noite desta segunda-feira (29/10). A partir de denúncias de moradores, a ONG Políticas Alternativas do Cone Sul (PACS) encaminhou denúncia à Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Alerj, que cobrou, por meio de ofício providências ao Ministério Público.”

___________________________________________________________________

Assista o programa, A LIGA “convivendo com o  perigo”, na íntegra.