Conheça o quarteto niteroiense MPB-4

MPB-4 é um grupo vocal e instrumental brasileiro formado em Niterói – RJ, a partir de 1965. A primeira formação contou com Miltinho, nascido em Campos dos Goytacazes-RJ,  Magro natural de Itaocara- RJ, Aquiles niteroiense e Ruy Faria de Cambuci, RJ.

Seus principais gêneros musicais são o samba e o MPB. Com um repertório marcado por composições de personalidades da música popular brasileira, como por exemplo Noel Rosa, Milton Nascimento, Chico Buarque, João Bosco, Paulo César Pinheiro e Aldir Blanc, o grupo apresenta-se em todo o Brasil, com sucesso de público e de crítica.

A formação do grupo ocorreu em meados de 1964, quando Aquiles, Magro, Ruy e Miltinho integravam o Centro Popular de Cultura. Magro e Miltinho eram estudantes do 3º ano de Engenharia da Universidade Federal Fluminense. Ambos tinham formação musical iniciada desde criança, Miltinho aprendeu violão na adolescência com o instrumentista Jodacil Damasceno e Magro havia participado da Sociedade Musical Patápio Silva, além de ter aprendido teoria musical com Eumir Deodato e Isaac Karabtchevisk.

Ruy tinha acabado de se graduar em Direito pela UFF e era escriturário da antiga agência do Instituto de Assistência e Previdência Social – IAPS. Ao mesmo tempo, trabalhava na noite carioca em dois grupos vocais e tinha sido ”crooner” em Santo Antônio de Pádua, Rio de Janeiro.  Aquiles era estudante secundarista e participava do coral de uma escola estadual de Niterói. De família católica, aos 17 anos, resolveu seguir carreira musical com os outros três integrantes.

Cada um dos integrantes tem um gosto musical diferenciado, embora eles eram influenciados pelo grupo vocal Os Cariocas. Miltinho, desde a adolescência, curtia música americana e bossa nova com os grupos Os Cariocas e Tamba Trio. Aquiles, ao mesmo tempo que tinha preferência pelo Trio Irakitan, era fã de Elvis Presley.

A parceria com Chico Buarque  durou aproximadamente dez anos. Durante este período, o MPB-4 firmou sua musicalidade e acompanhava-o em suas apresentações como escudeiro musical, com boas interpretações das composições de Chico, que já foi considerado como o “quinto integrante de um quarteto”. Um dos maiores destaques nesta década são as músicas “Quem te viu, quem te vê” e “Roda Viva”, ambas de 1967. Além disso, ganharam espaço também nos famosos festivais de música, produzidos pela Rede Record.

O primeiro LP do grupo recebe o nome de “MPB4”, e o destaque vai para as músicas “Lamento”, “Teresa Tristeza”. Em 1967, foi lançado outro trabalho, com as músicas “Quem te viu, quem te vê”, “Brincadeira de Angola”, “Cordão da Saideira” e “Gabriela”, que ficou em 6º lugar no III Festival da Música Popular da Rede Record.

Em 1968, lançam mais um LP com o mesmo título do grupo. Desta vez, a novidade é que cada integrante do grupo tem autonomia sobre uma faixa, como explicou Magro no programa Ensaio, de 1973. Aquiles cantou a música “Estrela é Lua Nova” com o coral da Escolal Municipal de Niterói, onde estudou. Miltinho estréia como compositor na faixa “Vim pra ficar”.

Ao mesmo tempo, os quatro rapazes enfrentavam dificuldades financeiras e a marca ferrenha da Censura, apesar de serem requisitados para apresentações nos palcos e na televisão. Além disso, em 1968, Chico Buarque vai á Itália para se proteger da Ditadura Militar. Sem seu parceiro, o grupo perdeu o norte e seus integrantes quase desistiram da carreira. O MPB4 tinha seus espetáculos encerrados a qualquer tempo pela Censura. Para dribá-la, os quatro integrantes tinham truques para enganar os censores, além de negociar as letras das músicas, práticas de resistência que continuaria por toda a carreira do quarteto.

O quarteto MPB-4 dá nome ao teatro do DCE da UFF, onde acontece hoje o projeto THCine Cultural

____________________________________________________________

___________________________________________________________________