Loucuras de carnaval ; saúde mental e a cultura no RJ

capa carnaval

A cidade, que por muito tempo foi proibida para os “loucos da saúde mental”, se torna a cada dia o grande vetor para a superação do modelo manicomial brasileiro. Essa grande aposta sociocultural defendida com firmeza pelo movimento da luta antimanicomial desde a década de 80, aos poucos vai se tornando realidade, e de extrema  importância no processo permanente que nomeamos de Reforma Psiquiátrica. Essa dimensão cultural trabalha na direção da cidade e do laço social e acredita que a relação da sociedade com a loucura não deva ser de exclusão, e sim de aceitação social e de convivência com as diferenças subjetivas de cada individuo. Nessa concepção a cultura e os dispositivos psicosociais criados a partir da reforma devem agir  para re-significar a relação entre loucura e cidade, e de maneira processual transformar o imaginário social, que ainda se apropria e conserva o discurso biomédico que entende a experiência delirante como um adoecimento mental e que portanto o louco pode e deve ser curado e normatizado a qualquer custo.

Reafirmando a importância da dimensão cultural  e popular da luta antimanicomial o próximo dia 7 de fevereiro vai ser marcado por  dois blocos que  irão desfilar com muita coragem e animação pelas ruas de Niterói e também do Rio de Janeiro. Mostrando que o lugar do louco pode ser nas ruas e convivendo de maneira harmoniosa com a cidade, produzindo arte e cultura e principalmente quebrando os paradigmas manicomiais de séculos passados.


loucos pela vida

Em Niterói a folia vai ser garantida pelo bloco “LOUCOS PELA VIDA” que conta com a participação de músicos do centro de convivência e cultura do município e também com o reforço da bateria dos moradores da comunidade de Proventório, possibilitando assim boa integração entre internos e usuários da saúde mental com os moradores da cidade e do entorno do hospital.  A concentração está marcada para às 13 h em frente ao quiosque da Magrinha, próximo ao Hospital Psiquiátrico de Jurujuba em Charitas. O  samba enredo dessa ano foi criado coletivamente em oficinas de músicas e vão homenagear o comunista e arquiteto Oscar Niemeyer.

Na cidade do Rio de Janeiro o Bloco carnavalesco “LOUCURA SUBURBANA”  sai às ruas, também no dia 7 de fevereiro, revitalizando o

loucura suburbanacarnaval do Engenho de Dentro e levando para as ruas  pacientes, familiares e funcionários da rede pública de saúde mental da cidade do Rio de Janeiro, além dos moradores do bairro. Em 2010 o bloco passa a ser também um Ponto de Cultura  e desde então oferece oficinas permanentes de percussão, adereços e fantasias, de cavaquinho e composição musical – atividades livres, gratuitas e que integram pacientes de diversos serviços de saúde mental da cidade e moradores do Engenho de Dentro e adjacências.A concentração da Loucura Suburbana ocorre a partir das 16h no Instituto Municipal Nise da Silveira.

Leve sua alegria, chame seus amigos e participe desse importante momento de reafirmação das diferenças individuais e subjetivas nas ruas da cidade.