No dia da consciência negra, Projeto THCine discutirá o histórico racista da proibição das drogas

thcine consciencia negra site

Projeto THCine – Cinema para fazer a cabeça com informação!

Evento no Facebook: http://migre.me/gH4Qk

No dia da Consciência Negra a equipe do nosso cineclube vem saudar o movimento negro e convidar todxs para um importante debate nesta data: ‘O histórico racista da proibição’.

Sabemos que a proibição da maconha no Brasil foi implementada com o objetivo de criminalizar a cultura dos negros ex-escravos do país. Não à toa a capoeira e o candomblé também foram proibidos no mesmo período e ainda hoje essa proibição é o principal dispositivo de criminalização da juventude negra e pobre de nossas favelas e periferias

Vale lembrar, essa edição do Projeto THCine também será o 2º Pré-Encontro Antiproibicionista, encontro que deve reunir antiproibicionistas de todo o Rio de Janeiro no início de 2014. O primeiro Pré-Encontro foi no Rio de Janeiro e a segunda etapa será nosso cineclube aqui em Niterói.

Apresentaremos o encontro detalhadamente para todxs xs interessados em participar e estaremos pegando o contato de quem também quiser ajudar na construção dessa importante articulação!

Convidem xs amigxs e esperamos vocês e seus sorrisos no cineclube mais esfumaçado de Niterói. Até lá!

  • Quanto Vale ou é por Quilo?  (Trailer e Sinopse)

“Quanto vale ou é por quilo? é um filme baseado em um conto de Machado de Assis que propõe uma reflexão sobre a sociedade brasileira escravocrata do século XVIII e a contemporânea.

Em diversos momentos, o filme retrata que a escravidão, os capitães do mato eram atores de uma história escrita no passado. Mas, em outros, que tais “personagens” ainda escrevem a história do nosso cotidiano…

No período escravocrata, homens-escravos foram fonte de lucro e uma moeda corrente paralela aos contos de réis. A exploração humana era fonte de status e riqueza.

O filme mostra, dentro dessa perspectiva, que o trabalho e o lucro de muitas ONGs se baseia no mesmo princípio: exploração da miséria humana.”

  • Programação

16:20 – Exibição de curta metragens
18:00 – Debate ‘O histórico racista da proibição’
19:00 – Exibição do filme ‘Quanto vale ou é por quilo?’

  • Convidados

§ André Barros | Comissão de Direitos Humanos da OAB
Militante dos direitos humanos, também é organizador e advogado Marcha da Maconha além de membro do Bloco Planta na Mente. Fará um resgate histórico de como se deu a proibição da maconha no Brasil.

§ André Constantine | Favela não se cala!
Militante do movimento de favelas no Rio de Janeiro, trará o debate sobre como a proibição tem repressão seletiva sobre a juventude negra dos morros e periferias.

§ PH Lima | Marcha da Maconha São Gonçalo 
Rapper e antiproibicionista, também é estudante de Segurança Pública e organizador da Marcha da Maconha São Gonçalo. Trará o recorte da repressão à cultura negra, entre elas à musicalidade e ao uso de drogas.

§ Tunã Nascimento | Cultura Verde
Militante do movimento negro e do Fórum pelas Cotas da UFF, também é membro do coletivo Cultura Verde e organizador da Marcha da Maconha Niterói. Mediará o debate e fará um recorte militante na luta antiproibicionista e anti-racista.

 Cardápio de Laricas 

Pipoca Amiga – Grátis!
Cervejinha – 2 dinheiros
Mate – 2 dinheiros
Brownie – 3 dinheiros

Comentários:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s