FeNEA e Cultura Verde realizam seminário sobre drogas e violência de Estado na UFF

enea drogas

O IV Seminário de Formação para o 39º Encontro Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo – ENEA Rio 2015 teve como tema “Drogas, Violência e Estado” e aconteceu dia 13 de dezembro às 14:00h no Chalé da Arquitetura na Universidade Federal Fluminense – campus Praia Vermelha.

A ideia central do seminário foi discutir a relação da atual política proibicionista de drogas com a legitimação da violência do Estado. A discussão iniciou-se com a apresentação do conceito de droga, bem como seu histórico global e nacional de proibição. A relação das políticas proibicionistas materializadas principalmente na lógica das Unidades de Polícia Pacificadora, internação compulsória e na legitimação de mortes nas favelas com o discurso de que os jovens mortos são do tráfico ou “ligados ao tráfico” foram os desdobramentos da discussão.

Foi feito também um breve histórico da luta antimanicomial, dos modelos manicomiais asilares até a conquista da reforma psiquiátrica brasileira a partir da lei 10.216, caracterizamos de maneira bem sucinta e direta os atores sociais e políticos envolvidos nesse processo e a importância da reforma sanitária para a consolidação das lutas por uma saúde pública, universal e de qualidade.

Esse resgaste histórico é importante de ser socializado devido aos atuais retrocessos nas políticas públicas voltadas para os usuários de álcool e drogas principalmente de crack. As internações forçadas literalmente ferem os princípios e os fluxos de cuidado da atenção psicossocial no Sistema Único de Saúde. Foram apresentados os serviços e práticas de saúde que defendemos enquanto alternativa às internações compulsórias e os manicômios como a Consultoria na Rua, os Centros de Atenção Psicossocial e a lógica da Redução de Danos enquanto um princípio ético que deve nortear o cuidado dos usuários problemáticos de álcool e outras drogas.

Durante o espaço também foi discutido o histórico racista do proibicionismo. Nesse sentido, fizemos uma análise da história da proibição, apontando as relações preconceituosas que garantiram as primeiras leis proibicionistas no Brasil. Além disso, foi relacionado a esse debate, como a Cannabis tem sua importância dentro da história dos escravos que vieram de Angola, e outras regiões da África durante a época do tráfico de escravos transatlântico.

O seminário ainda contou com a exibição do filme ‘Notícias de uma guerra particular’ no THCine, cineclube antiproibicionista do Cultura Verde e a ‘Morguinha’, atividade de confraternização da comissão organizadora do ENEA 2015.

Confira as fotos da atividade:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Comentários:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s