Variedades

A maconha comercializada atualmente no Centro-Sul do Brasil, originada 85% no Paraguai, possui alguma concentração de amônia. Alguns dizem ser um aditivo dos narcotraficantes, outros dizem ser proveniente da decomposição da erva prensada com a umidade, mas a verdade é que ela disfarça o cheiro característico da erva e evita o apodrecimento antes que chegue às mãos do consumidor ao mesmo tempo que degrada os psicoativos da planta. Essa substância cria um problema de saúde pública, já que a amônia é um agente carcinogênico e sua inalação está relacionada a vários problemas respiratórios a longo prazo, muito piores que os do cigarro de tabaco, expondo os aproximadamente 3 milhões de usuários brasileiros. No Norte e Nordeste, boa parte da maconha vem do cultivo nacional, do chamado Polígono da Maconha. Apesar da ilegalidade, o cultivo para consumo próprio de Cannabisé uma alternativa conveniente para a maioria dos usuários, seja para evitar a violência causada pelo narcotráfico, seja pela qualidade da erva.

Existem dois tipos de plantio de maconha, a interna, que se baseia em métodos de estufa, em vasos ou hidroponia, oferecendo bastante segurança para o cultivador, porém é uma forma ineficiente por causa do excessivo gasto de energia; e a externa, que é o método de cultivo no solo, que apesar de não oferecer tanta segurança, é mais eficiente e pode oferecer plantas de mais de 4 metros. Alguns cultivadores externos praticam o que se chama de cultivo de guerrilha: espalham plantas em terrenos ou jardins isolados, longe de suas propriedades, a fim de obter mais segurança, mais espaço ou apenas pelo ideal.

O gênero Cannabis possui três espécies produtoras de canabinóides: C. sativaC.indica e C.ruderalis.A C. sativa, mais famosa, é a mais alta, de folhas finas, de florescência demorada e apresenta às maiores concentrações de canabinóides, principalmente tetrahidrocanabinois (THC), podendo a chegar a 20% dessa substância em suas inflorescências. Geralmente apresenta um efeito mais  eufórico. É utilizada há muito tempo pela humanidade por possuir a fibra mais resistente entre todas as plantas. A C. indica é um pouco menor, de folhas largas, florescência precoce e apresenta menos quantidade de THC, porém grandes quantidades de canabidiol (CBD), responsável pelos efeitos de relaxamento e sonolência. A C. ruderalis é rasteira e de auto-florescência, é uma planta de cultivo em climas extremos, apresenta poucos psicoativos e geralmente é cruzada com as outras espécies pela sua capacidade de floração. As espécies geralmente são cruzadas para se obter uma planta do gosto do cultivador.

Atualmente pode-se comprar pela internet qualquer semente produzida e vendida em países legalmente com todas as características que se busca para a planta: altura, tempo de cultivo e concentrações de canabinóides. Algumas chegam a ser curiosas: são roxas, rosas ou azuis, apresentam cheiros característicos, como o de queijo, caramelo e chiclete. Para adquirir maiores informações sobre cultivo, já existe a venda livros que tratam desde germinação e tratamento de doenças até a extração e manufatura, além de fóruns com diários que tratam de vários tipos de cultivos.